sábado, 22 de fevereiro de 2014

QUE SEJA DOCE - Caio Fernando Abreu.

Que seja doce o dia que eu abrir as janelas e me lembrar de você.
 Que sejam doces os finais de tardes, inclusive os de segunda-feira 
- quando começa a contagem regressiva para o final de semana chegar.
 Que seja doce a espera pelas mensagens, ligações e e-mails bonitinhos.
 Que seja (mais do que) doce a sua voz ao falar no telefone. 
Que seja doce o seu cheiro.
 Que seja doce o seu jeito, seus olhares, seu receio.
 Que seja doce o seu modo de andar, de sentir, de demonstrar afeto.
 Que sejam doces suas expressões faciais, até o levantar de sobrancelha. 
Que seja doce a leveza que eu sentirei ao seu lado. 
Que seja doce a ausência do meu medo. 
Que seja doce o seu abraço. 
Que seja doce o modo como você irá segurar na minha mão.
 Que seja doce esse amor!

Caio Fernando Abreu.

domingo, 16 de fevereiro de 2014

VERSOS ERÓTICOS - Barão da Mata

VERSOS ERÓTICOS

O sexo é a sublimação dos corpos

e dos espíritos,

É a deificação dos humanos.

O teu corpo foi feito para o amor.

Ama com a incandescência do teu ato de amor primeiro,

Ama como se amar fosse teu ato derradeiro.


Barão da Mata.






O sexo é a sublimação dos corpos
e dos espíritos,
é a deificação dos humanos.
O teu corpo foi feito para o amor.
Ama com a incandescência do teu ato de amor primeiro,
ama como se amar fosse teu ato derradeiro.

Barão da Mata - Tudo

sábado, 15 de fevereiro de 2014

O VALIOSO TEMPO DOS MADUROS -Mario de Andrade

O Valioso tempo dos maduros

O valioso tempo dos maduros
Mario de Andrade


"Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui para a frente do que já vivi até agora.

Tenho muito mais passado do que futuro.


Sinto-me como aquele menino que ganhou uma bacia de jabuticabas.
As primeiras, ele chupou displicente, mas percebendo que faltam poucas, rói o caroço.
Já não tenho tempo para lidar com mediocridades.

 Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflados.

 Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçando seus lugares, talentos e sorte.
Já não tenho tempo para conversas intermináveis, para discutir assuntos inúteis sobre vidas alheias que nem fazem parte da minha.
Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas, que apesar da idade cronológica, são imaturos.

 Detesto fazer acareação de desafetos que brigaram pelo majestoso cargo de secretário geral do coral.

As pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos.
Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência, minha alma tem pressa...

Sem muitas jabuticabas na bacia, quero viver ao lado de gente humana, muito humana, que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com triunfos, não se considera eleita antes da hora, não foge de sua mortalidade...

Só há que caminhar perto de coisas e pessoas de verdade.
O essencial faz a vida valer a pena.
E para mim, basta o essencial."

VIZIM DE ZÉ CARDOSO - Barão da Mata

VIZIM DE ZÉ CARDOSO

Vem cá, vizim, desce uma pinga, que eu te conto:
Ninguém no mundo é mais feliz que Zé Cardoso.
É que, cedim, toda manhã, beija a menina
De cabelim assim curtim, sorriso franco,
Bonita assim que nem os campo bem verdim.

Aquele beijo mais parece que alimenta Zé Cardoso,
Que prá labuta sai feliz de inté sartá.
Entra a menina a sorrir por casa a dentro,
E eu fico oiando as coxa grossa, bem clarim,
E sonho vendo o vestidim a balançar.

O dia inteiro aquela potra lava, passa,
Varre, cozinha e canta assim qual passarim.
É tão bonita com zoim assim pretim,
Tão infantis e serenim, cheim de paz.

De tarde chega Zé Cardoso todo prosa,
E ela se agarra, alegre, moça, ao seu pescoço.
Depois, vizim, é um converseiro sem tamanho.
Um tal de "amor", "benzim" pra lá, "benzim" pra cá,
E a casa, assim, meu bom vizim, parece em festa.

Eu imagino, meu amigo, que à noitinha
O meu vizim é mais feliz que um fazendeiro,
Porque a deusinha, se entregando entre sussurros,
É bem capaz de qualquer cristo endoidecer.
E eu te confesso, sou tão só, que sinto inveja
E uma tristeza grande assim de contorcer.

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

CUSTÓDIA MARIA DOS SANTOS - Maria Lúcia Inocêncio Camargo.

Custódia Maria dos Santos.
Maria Lúcia Inocêncio Camargo.

Foi uma parteira em Mauá.
Durante muitos anos ela ajudou a trazer ao mundo muitas crianças em Mauá.
Seu apelido era Dona Nenê.
Como agradecimento as mulheres que ela ajudava a dar á luz pediam que ela batizasse seus filhos.
Ela era muito boa quando eu e meus irmãos íamos visita-la.
Tomávamos leite que ela tirava.
Comíamos frutas das árvores do seu quintal.
Ela era minha bisavó por parte de pai.
Ela teve três filhos e se casou duas vezes.
Em seu sítio ela criava cabras, galinhas, cavalos e algumas vacas com seus bezerrinhos.
As árvores frutíferas eram deliciosas hoje quase não se vê.
Quando eu nasci Mauá pertencia á Santo André. Ela tornou-se município em 1953.
Eu adorava ir á Mauá, pois sempre amei andar de trem e eu gostava da neblina que baixava na cidade quando menos se esperava.
Minha avó faleceu quando eu ainda era criança e tudo mudou.
Hoje minha bisavó é nome de Rua na Vila América em Mauá.
Custódia Maria dos Santos, dona Nenê!
Foi uma grande mulher.
Era negra com muito orgulho.

Uma mulher apaixonada pela vida!

Minha foto

Trabalhei no serviço público e quando me aposentei passei a fazer trabalhos manuais, poesias, artes plásticas e artesanato.Tenho um pequeno ateliê e sou muito ocupada Adoro viajar e fazer cursos.Sou blogueira com muito orgulho.Amo ajudar a cuidar dos meus netos.
Meu desejo é divulgar meu trabalho e conhecer pessoas.

Minha lista de blogs

Arquivo do blog

Loading...