terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Querer!


Querer


Tua boca rubra e fresca
beijo, e a sede não se apaga:
que em cada beijo quisera
beber toda a tua alma.
Enamorei-me de ti;
e é doença tão má
que dizem os que se amam
que nem com a morte acaba.
Ponho-me louco se escuto
o rumor da tua saia;
e o roçar da tua mão
dá-me vida e depois mata-me.
Eu quisera ser o ar
que toda inteira te abraça;
eu quisera ser o sangue
que corre em tuas entranhas.
São as linhas do teu corpo
modelo das minhas ânsias,
o caminho dos meus beijos
e o íman do meu olhar.
Sinto, ao cingir tua cinta,
uma dúvida que mata:
quisera ter, num abraço,
todo o teu corpo e tua alma.
Estou doente de ti;
da cura não tenho esperança:
na sede deste amor louco
és minha sede e minha água.
Maldito seja o momento
em que entrei em tua casa,
em que vi teus olhos negros,
beijei-te a boca escarlate.
Maldita seja esta sede,
maldita seja esta água!..
Maldito seja o veneno
que envenena e que não mata!
Manuel Machado
in Antologia da Poesia Espanhola Contemporânea, selecção e tradução de José Bento.


Estou apaixonada, estou apaixonada, estou apaixonadísima.Tenho até medo de assustar o objeto da minha paixão.Me contenho perto dele, mas aqui extravaso o que sinto.

Nenhum comentário:

Uma mulher apaixonada pela vida!

Minha foto

Trabalhei no serviço público e quando me aposentei passei a fazer trabalhos manuais, poesias, artes plásticas e artesanato.Tenho um pequeno ateliê e sou muito ocupada Adoro viajar e fazer cursos.Sou blogueira com muito orgulho.Amo ajudar a cuidar dos meus netos.
Meu desejo é divulgar meu trabalho e conhecer pessoas.

Minha lista de blogs

Arquivo do blog

Loading...