sábado, 17 de janeiro de 2009

ALFAJORES.


ALFAJORES

Na terra do tango de Gardel me lembrei de ti.
Passei na Doceteria do Shopping e não resisti:
comprei alfajores pra te dar,
uma doce lembrança para te agradar,
imaginando jogá-los na tua boca
e degustar em ti chocolates – sou chocólatra,
viciada feito louca.

Mas, onde estão os alfajores?
Quase se perderam no meu caminho...
Tu não os quiseste, não lhes deu o menor valor, garoto grande menino!
Meus preciosos (pra mim), insignificantes (pra ti) chocolates...
E aí me deparei com outro pequeno menino, pobre, de olhos tristes,
no sinaleiro da esquina onde passo,
todos os dias, ele, com cara de cansaço,
a me pedir: moça, tem aí um trocado?
Pensativa que estava, levei um susto!
Olhei pro menino, retribuindo-lhe o mesmo olhar
triste, cabisbaixo, desanimado, com que me fitava.
Lembrei do meu presente, Chocolates Rejeitados,
e retirei da minha bolsa a caixinha de alfajores,
ali esquecida, perdida, amassada,
de tanto andar pra lá e pra cá, a te esperar.
Estendi-lhe, com as mãos ainda trêmulas da decepção sofrida,
tão real, dolorida,
os alfajores, trazidos de tão longe, apertados junto ao meu peito
como um lote precioso de jóias sem defeito
mas que não causaram nenhum efeito.
O menino arregalou os olhos, segurou-os fortemente e sorriu.
Eu olhei pra ele e também sorri.
Avistei, além da Avenida Beiramar, as ondas do mar, bem altas, como a me saudar.
Meu coração estava, de novo, em paz!
A vida é o que a gente faz!

Poetisa das Marés, Sueli Amália (14/janeiro/2008)

(Poesia dedicada ao Antônio, menino de rua encontrado na esquina do sinaleiro
da Rua Altamiro Guimarães com Bocaiúva, que recebeu uma caixa de alfajores argentinos e comeu-os avidamente, sem parar...)

2 comentários:

Elza Fraga disse...

Oi, querida. Brigadim pela presença constante no meu espaço.
Adorei saber do seu blog e aqui estou. Escreva sempre, é a forma mais perfeita de catarse.
Nos textos a gente coloca o dolorido da vida. E quando a gente expulsa a dor tudo volta a ter luz e cor.
Bitokitas, harmonia e toda a paz que couber dentro da sua vida.

Víctor Zazuela disse...

Esse poema de minha cara amiga, Sueli Amália (Poetisa das Marés)é um de meus preferidos. Talvez ela não saiba disso, mas ficamos em segredo absoluto rs

bjs e adorei seu blog

Uma mulher apaixonada pela vida!

Minha foto

Trabalhei no serviço público e quando me aposentei passei a fazer trabalhos manuais, poesias, artes plásticas e artesanato.Tenho um pequeno ateliê e sou muito ocupada Adoro viajar e fazer cursos.Sou blogueira com muito orgulho.Amo ajudar a cuidar dos meus netos.
Meu desejo é divulgar meu trabalho e conhecer pessoas.

Minha lista de blogs

Arquivo do blog

Loading...